Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.
ENVIE A SUA QUESTÃO.
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato. Nenhuma resposta pressupõe um diagnóstico por parte da nossa equipa nem a substituição de um acompanhamento especializado.

POSTS RECENTES

Tipos de Ansiedade

Problemas de Ansiedade

Problemas de comunicação

Auto-Estima

Psicoterapia para Depress...

Casal Feliz, Como ser?

Casal e os Filhos de outr...

Bom relacionamento

Boa Relação Intima

Perturbação Bipolar

ARQUIVOS

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Segunda-feira, 3 de Setembro de 2012

Podemos falar? - Dicas Para Conversas Difíceis

Como Ter Conversas Difíceis

Quando for altura para ter uma conversa sobre um tema ou assunto difícil, não use a velha expressão "Querido(a), temos que falar!" Isso irá colocar a outra pessoa imediatamente num estado defensivo.

Ao longo da relação haverá alturas em que é necessário ter determinadas conversas. São conversas difíceis que ninguém quer ter, porque trazem à superficie sentimentos de zanga, amargura, tristeza e decepção. Por outro lado, fingir que nada se passa é como fazer um caminho em cima de ovos, evitando ao máximo que eles se partam com o peso das emoções.

Ter conversas difíceis é um sinal que se preocupa com a sua felicidade e com a relação com a outra pessoa.

Veja as seguintes dicas para suavizar uma conversa difícil:

1ª Dica - Não coloque de lado uma conversa difícil. O mal-estar gerado pela conversa é passageiro e habitualmente as pessoas têm recursos para se entenderem e modificarem.

2ª Dica - Veja as suas expectativas. Se esperar que a conversa corra mal, irá correr. Se assumir que ao ter essa conversa as coisas irão piorar, então provavelmente irão. Defina antecipadamente as suas expectativas, ou seja defina aquilo que espera obter com essa conversa e faça-o de um ponto de vista positivo. Afinal você quer algo positivo para a sua vida com essa conversa. Você quer que algo mude para melhor ou que algo de negativo deixe de se passar. Pense sempre que o resultado final que você quer é algo positivo para si.

3ª Dica - Esclareça para si porque quer ter essa conversa. O que é que pretende com essa conversa difícil? Pretende compreender melhor a perspectiva da outra pessoa? Quer esclarecer um mal-entendido? Pretende confrontar a outra pessoa acerca de uma mentira ou de um comportamento que magoou? Preocupa-se com o afastamento íntimo, quer saber o que se passa e pretende estar mais próximo da outra pessoa?

4ª Dica - Comece a conversa com: "Tenho andado a pensar...", "O que achas de...", "Gostaria de falar de...", "Gostaria de saber melhor o que achas de...".

5ª Dica - Não manipule a outra pessoa. Não convide a outra pessoa para jantar ou ir ao cinema quando a sua verdadeira intenção é ter uma conversa difícil e que provavelmente irá ser desagradável até tudo estar compreendido e aceite.

6ª Dica - Escolha a altura certa para conversar. Não troque o tempo de intimidade pelo tempo para ter a conversa dificil e vice-versa, se tiver que esclarecer alguma coisa antes de se envolver intimamente, esclareça-o. Mas não guarde essa conversa para a altura em que habitualmente estão ligados intimamente.

 

Consulte Terapia de Casal

 

tags: ,
publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 11:50
link do post | favorito

O Consultório Psicologia Familiar é desenvolvido pela Clínica Psicologia Lisboa.

TORNE-SE FÃ DA NOSSA PÁGINA
psicoterapiaDr. Pedro Albuquerque licenciou-se em Psicologia Clínica e do Aconselhamento, especializou-se em Psicoterapia de Grupo, Terapia de Casal e Coaching. Desenvolveu a sua práctica clínica no Hospital Júlio de Matos e em clínicas privadas. Possui estudos de doutoramento em Psicologia Clínica, pela Universidade de Coimbra. Formação em EMDR e Programação Neuro-Linguistica. É membro da Sociedade Portuguesa de Psicodrama, da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, da Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Construtivistas e da Associação Portuguesa para o Mindfulness. É fundador da Clínica Psicologia Lisboa.

psicoterapiaDr. Ana Teresa Marques licenciou-se em Psicologia Clínica, especializou-se em Psicoterapia Individual, Terapia de Casal e da Familia. Desenvolveu a sua práctica clínica no Instituto de Cardiologia Preventiva e em clínicas privadas. É membro da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. É membro fundador da Associação Portuguesa para o Estudo e Prevenção dos Abusos Sexuais de Crianças e da Associação EMDR Portugal. É fundadora e Directora Clínica da Clínica Psicologia Lisboa.


CONTACTOS:
Morada: Av. João XXI, nº. 28, 2º.Dir, Lisboa
Telefone: 96 140 49 50
Telefone: 91 437 50 55
Email: clinica.psicologia.lisboa@gmail.com
Site: www.clinicapsicologialisboa.com

PESQUISAR NESTE BLOG

 

tags

todas as tags

links

SUBSCREVER FEEDS