Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.
ENVIE A SUA QUESTÃO.
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato. Nenhuma resposta pressupõe um diagnóstico por parte da nossa equipa nem a substituição de um acompanhamento especializado.

POSTS RECENTES

Tipos de Ansiedade

Problemas de Ansiedade

Problemas de comunicação

Auto-Estima

Psicoterapia para Depress...

Casal Feliz, Como ser?

Casal e os Filhos de outr...

Bom relacionamento

Boa Relação Intima

Perturbação Bipolar

ARQUIVOS

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Quinta-feira, 8 de Março de 2012

Amizades Desentendidas!

Clínica Psicologia Lisboa Amizade Desentendida

Questão colocada: “Zanguei-me com a minha melhor amiga. Sempre fomos confidentes uma da outra e sempre fizemos tudo em conjunto, mas um dia desentendemo-nos nem sei bem porquê e agora não nos falamos. Esta situação já dura à 1 ano e sinto-me triste e com saudades. Não sei se lhe devo ou não telefonar porque também não sei como é que ela vai receber o meu telefonema. A minha família diz-me para não o fazer porque me estou a rebaixar, mas tenho muita vontade de lhe ligar. Qual será a melhor atitude?”

 

Cara leitora

 

A melhor atitude será sempre aquela que tiver maior probabilidade de a fazer feliz. Efectivamente telefonar à sua amiga tem como risco esta não a receber bem e não ser possível a continuidade da vossa amizade. Por outro lado, se nada fizer, será mesmo impossível que a relação se volte a restabelecer.

Podemos pensar que a outra pessoa também poderia ter alguma atitude de aproximação, mas se a pessoa pensar na mesma forma, nenhuma das duas
empreenderá qualquer esforço de proximidade. Dar o primeiro passo não é um acto de humilhação ou rebaixamento, mas sim um acto de coragem e generosidade.

Se tem vontade de tentar, tente. Não tenha qualquer receio, já que o ganho será positivo ou nulo, pois o mais que pode acontecer é ficarem como estão agora, isto é, afastadas.

Por vezes as pessoas zangam-se por pequeníssimas coisas e o outro nem se apercebe, e é extremamente importante que queira criar mais uma oportunidade para puderem falar e esclarecer possíveis mal-entendidos.

Se vai telefonar à sua amiga, faça-o em nome da vossa amizade, da qual já tem tantas saudades.

 

Eis algumas dicas para estabelecer e manter as amizades:

 

  • Escute o outro com passividade e acolhimento; não interrompa o seu discurso e preste atenção ao que lhe estão a dizer.
  • Não faça perguntas em resposta a outras perguntas, pois esse tipo de atitude transmite frieza e distanciamento.
  • Não seja agressiva, irónica ou depreciativa nas suas palavras. Faça com que as suas palavras sejam mais benéficas que o seu silêncio.
  • Dê atenção ao outro e interesse-se pela sua vida e pelos seus problemas, mesmo que estes não lhe pareçam muito importantes.
  • A amizade é um dar e receber, mas não espere receber sempre primeiro para depois dar, nem contabilize o seu dar.
  • Lembre-se que não podemos mudar o outro, podemos sim mudar a nossa forma de estar com o outro.
  • Para estabelecer uma amizade saudável é preciso reconhecermos os nossos sentimentos e necessidades e ter em conta que estes não têm que ser coincidentes com os sentimentos e necessidades das outras pessoas. Torna-se ainda muito importante saber lidar com o medo da rejeição e da separação.
  • Não se esqueça que viver sem amigos é viver infeliz.

Clínica Psicologia Lisboa

Marque Consulta Psicologia

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 11:15
link do post | favorito

O Consultório Psicologia Familiar é desenvolvido pela Clínica Psicologia Lisboa.

TORNE-SE FÃ DA NOSSA PÁGINA
psicoterapiaDr. Pedro Albuquerque licenciou-se em Psicologia Clínica e do Aconselhamento, especializou-se em Psicoterapia de Grupo, Terapia de Casal e Coaching. Desenvolveu a sua práctica clínica no Hospital Júlio de Matos e em clínicas privadas. Possui estudos de doutoramento em Psicologia Clínica, pela Universidade de Coimbra. Formação em EMDR e Programação Neuro-Linguistica. É membro da Sociedade Portuguesa de Psicodrama, da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, da Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Construtivistas e da Associação Portuguesa para o Mindfulness. É fundador da Clínica Psicologia Lisboa.

psicoterapiaDr. Ana Teresa Marques licenciou-se em Psicologia Clínica, especializou-se em Psicoterapia Individual, Terapia de Casal e da Familia. Desenvolveu a sua práctica clínica no Instituto de Cardiologia Preventiva e em clínicas privadas. É membro da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. É membro fundador da Associação Portuguesa para o Estudo e Prevenção dos Abusos Sexuais de Crianças e da Associação EMDR Portugal. É fundadora e Directora Clínica da Clínica Psicologia Lisboa.


CONTACTOS:
Morada: Av. João XXI, nº. 28, 2º.Dir, Lisboa
Telefone: 96 140 49 50
Telefone: 91 437 50 55
Email: clinica.psicologia.lisboa@gmail.com
Site: www.clinicapsicologialisboa.com

PESQUISAR NESTE BLOG

 

tags

todas as tags

links

SUBSCREVER FEEDS