Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório Psicologia Familiar

Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.

Consultório Psicologia Familiar

Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.

Vou-me Divorciar!

27.02.12, Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Psicologia Familiar Divórcio

 

Questão colocada: "Vou-me divorciar. Tenho essa certeza mas não sei
como é que vou dizer à minha mulher e aos meus filhos. Sinto que ela não faz a
menor ideia de quanto estou infeliz e insatisfeito na relação e tenho medo que
a minha decisão afecte o desenvolvimento saudável dos meus filhos. Quando e
como devo fazer?"

 

Caro leitor,

 

Se a sua mulher não faz ideia do que se passa consigo e com
a vossa relação, decerto a sua decisão vai desencadear um processo de grande angústia
na sua actual família. No entanto, se está seguro da sua decisão como afirma,
deve comunicá-la à sua mulher com a maior brevidade possível, pois não é justo
que esta esteja a investir numa relação que já não existe. Não existem melhores
formas para dar más notícias, pelo que deverá encher-se de coragem e paciência,
procurar um momento em que ambos estejam a sós, de preferência a um sábado de
manhã, para que possam ter mais tempo para falar e estabilizar sem afectar o
trabalho de ambos, e explicar a situação abrindo o seu coração. Não espere
muita compreensão nem calma, porque possivelmente a notícia vai ser muito mal
recebida. Após os primeiros momentos de choque, comece a falar dos aspectos
práticos, mas sem pressa. É necessário que falem das vossas novas moradas, isto
é, quem vai sair de casa e para quem fica a morada de família, do regime de
visitas dos menores e da pensão de alimentos. É sempre preferível que entrem em
acordo, sempre que possível.

Quanto a comunicar aos filhos, devem comunicar ambos e o quanto antes,
de preferência sem qualquer atribuição de culpas. Dependendo da idade das
crianças assim a conversa deve ser adaptada, sendo que deve ficar bem expresso
que o divórcio é entre os pais e não entre pais e filhos.

 

Eis algumas dicas:

 

  • As crianças preocupam-se essencialmente com aspectos
    práticos como aonde vai o pai e quando o vão ver; saiba dar respostas
    assertivas.
  • A sua mulher não vai gostar da sua decisão; dê tempo à sua
    família para se adaptar à mudança.
  • Não se coloque a jeito para ser ofendido ou mal-tratado com
    a sua decisão; todas as pessoas têm o direito à felicidade e ninguém é dono de
    ninguém.
  • Os filhos são a arma preferida dos pais e das mães, quando
    se pretendem vingar do antigo cônjuge; proteja os seus filhos se houver
    necessidade.
  • Não se sinta culpado por desfazer a sua família; na verdade
    esta já não existia.
  • Não prescinda dos seus filhos; eles são seres autónomos e
    livres que têm o direito de ter pai e mãe.
  • Não prescinda da sua felicidade; a vida é demasiado preciosa
    para a desperdiçarmos.

 

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto