Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.
ENVIE A SUA QUESTÃO.
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato. Nenhuma resposta pressupõe um diagnóstico por parte da nossa equipa nem a substituição de um acompanhamento especializado.

POSTS RECENTES

Casal Feliz, Como ser?

Casal e os Filhos de outr...

Psicologia da Família, O ...

Bom relacionamento

Confiança na Relação, É p...

Mau Comportamento, Nas Cr...

Crianças, Pais na Relação...

Oiça a Família

Casal e os Filhos de outr...

Casal Feliz, Como ser?

ARQUIVOS

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Terça-feira, 18 de Dezembro de 2012

Há amor na sua família?

Familias Reorganizadas

As famílias recompostas são famílias em que as vivências se gerem pelo afecto e não pelos laços sanguíneos.

São famílias cuja união se faz através do amor que nasce entre um homem e uma mulher(mãe/madrasta e pai/padrasto).

O casal decide unir-se pelo seu amor mas os filhos de cada um não têm qualquer afinidade com o novo adulto que entra nas suas vidas ou com os filhos do mesmo.

Normalmente a maior reestruturação surge nos filhos das mulheres, já que em Portugal os filhos vivem na esmagadora maioria das vezes com as mães. É no seio da vida destes que entra uma nova figura, com dinâmicas de vida diferentes, e que rivaliza com o amor e a atenção da mãe.E será no seio destes que entrarão no quotidiano irmãos dessa nova relação materna e os filhos do padrasto aquando das visitas dos mesmos ao pai.

 

O entusiasmo e a curiosidade pode rapidamente dar lugar a sentimentos de invasão e intrusão a todos os níveis, já que os espaços têm que ser reorganizados e partilhados entre pessoas que não se conhecem e nada têm a ver umas com as outras. Por outro lado, os filhos do homem têm que se adaptar a verem o seu pai dar amor e atenção a outras pessoas, a um novo espaço e a novas dinãmicas de viver e de estar. Parece-nos uma tarefa gigantesca e é de facto, para a jovem união de um casal apaixonado.

 

É necessário gerir e lidar com todos para que se sintam bem, tenham o seu espaço especial dentro da família e possam criar laços de afecto para se unirem numa família cujos alicerces são o amor,a amizade, a bondade, a partilha e a generosidade. Nem sempre é possível uma gestão saudável nestas famílias já que existem inúmeras variáveis que podem conduzir à desarmonia, mas se no seu caso a sua família é recomposta e feliz, lembre-se todos os dias que foram os seus filhos que lhe deram esse presente, ao colocarem de lado quaisquer dificuldades de adaptação e ao darem maior importância a verem a mãe/o pai, feliz.

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 12:30
link do post | favorito
Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2012

Hoje é dia de quê?

Natal das Crianças

 

À medida que o dia de Natal se aproxima a ansiedade e a agitação crescem nos corações dos mais pequeninos da casa.

A chegada do Pai Natal, o nascimento do menino Jesus, a reunião da família, os doces que não se podem comer livremente ao longo do ano e claro os presentes, aquele momento tão esperado em que debaixo da árvore de Natal ou dentro do Sapatinho surgem embrulhos coloridos com fitas vistosas que escondem sonhos e desejos inconscientes.
 
Por vezes os pais ficam nervosos com esta quadra, já que nas carteiras os euros não abundam e os pedidos dos pequeninos são vastos e caros.
Não se preocupe. Aquilo que as crianças gostam realmente é de abrir presentes, da cor, da alegria e da magia que circunda o momento.
 
Neste Natal, seja prático e criativo.
Eis algumas Dicas para que o seu Natal possa ter a magia de sempre e surpreender adultos e crianças.
  • Faça bolachinhas e envolva-as em chocolate. Embrulhe-as em papel apelativo.
  • Aproveite fotos que tenha tirado ao longo do ano para fazer quadros, albuns e agendas personalizadas.
  • Visite e surpreenda-se com os preços apelativos das feiras e das lojas de artesanato português.
  • Envolva toda a família em busca do presente certo para cada pessoa, com um orçamento limitado e fixo.
  • Peça aos mais pequenos para fazerem as suas "obras de arte" e ofereça-as.
  • Visite os sotãos e caves da família: por vezes existem verdadeiras relíquias guardadas que farão as delícias de quem tiver o previlégio das receber.
  • O seu quarto, o seu mundo: não acha que o seu filho ou filha gostariam de ter algum objecto especial seu?

 

Muito mais que uma troca de presentes,o Natal é uma troca de afectos e partilha de corações que se interpenetram.

Este Natal dê AMOR!

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 16:42
link do post | favorito
Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2012

Familias Reorganizadas: O que são?

Famílias reorganizadas

 

Chamamos famílias reorganizadas quando adultos divorciados ou viúvos com filhos formam novas relacionamentos com outros adultos com filhos.

A elevada taxa de divórcios hoje em dia aumentou imenso o número de famílias reorganizadas.

Sabemos o quanto é desafiante criar e educar os filhos. Existem cada vez mais pessoas que estão a descobrir que ao papel de educador nas famílias reorganizadas acresce um aumento de habilidade e sensibilidade para lidar com as diversas situações que surgem.

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 10:47
link do post | favorito
Quinta-feira, 21 de Junho de 2012

Poupe sem Esforço... Viva com Tranquilidade

poupar sem esforço

 

Hoje em dia, basta abrir os jornais ou internet, ou ligar a televisão para nos sentirmos no meio de um filme de terror. Crise, crise, crise.

Até os menos suscetíveis, ou porque a vida lhes corre de feição ou porque a sua forma de ver o mundo é muito positivista se assustam, deixando-se contaminar com medos e receio do presente e do futuro.

Casais jovens repensam se poderão arriscar e ter um filho, se poderão sair de casa dos pais, e até mesmo aqueles que têm um bom emprego temem perdê-lo a qualquer instante.

Realmente o cenário parece catastrófico e como em qualquer catástrofe o sentimento que nos inunda é a impotência. Sabemos no entanto que em momentos de desespero, as pessoas têm uma enorme resiliência e ultrapassam os mais sérios desafios, desde que psicologicamente estejam
conscientes e com a perfeita convicção que o têm de fazer.

Poupar está na ordem do dia pelo que lhe iremos fornecer, ao longo do mês de Junho, algumas dicas que ajudem neste propósito.

 

Dicas de poupança:

  1. Faça sempre uma lista antes de ir às compras. Para lhe facilitar o trabalho vá apontando o que lhe vai fazendo falta ao longo da semana. Se souber o que realmente precisa não fará gastos supérfluos.
  2. Faça menus semanais. Se tiver estabelecido o que vai cozinhar para a sua família, as compras serão de acordo com os menus e não de acordo com a impulsividade do momento.
  3. Quando for às compras saiba quanto pode gastar. Vá somando o valor dos produtos que vai colocando no seu carrinho de compras para não ter surpresas quando chegar à caixa.
  4. Compre em grandes quantidades apenas quando fizer sentido. Tenha em atenção que se por vezes comprar em grandes quantidades pode ser proveitoso, pode também resultar em gasto supérfluo se os produtos se estragarem ou não forem consumidos a curto, médio prazo.
  5. Guarde as faturas e faça uma tabela Excel. Se tiver sempre à mão o valor dos produtos poderá comparar preços entre vários estabelecimentos e optar assertivamente.
  6. Prepare uma merenda antes de sair de casa. Os lanchinhos diários são sempre muito apetecíveis e também muito dispendiosos. Reserve 10 minutos da sua manhã para preparar algumas frutas, iogurtes, sandes ou bolachas para ingerir ao longo do dia entre refeições, quando a fome apertar.
  7. Aproveite sobras para levar ao almoço. Se cozinhar em maiores quantidades ao jantar, fica com sobras para o seu almoço, bem como para o almoço dos seus filhos. Guarde as sobras imediatamente após o jantar para que a qualidade da refeição se mantenha.
  8. Aproveite horas livres e cozinhe em quantidade. Se cozinhar em maiores quantidades do que aquela que vai usar, por exemplo o dobro da dose, poderá congelar uma refeição e assim ter sempre refeições à disposição. Poupa em tempo, em combustível e em ingredientes.

 

Ao final do mês, veja como lhe correu bem a poupança e Sorria. Afinal você foi capaz…

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 14:42
link do post | favorito
Sexta-feira, 8 de Junho de 2012

Familias Recompostas. Como fazer para ser Feliz.

clínica psicologia lisboa psicoterapia familia

 

As Famílias Recompostas são aquelas famílias em que um dos membros do casal ou os dois têm filhos de relacionamentos anteriores. Podem existir os filhos de um, os filhos de outro ou os filhos de ambos. As crianças têm irmãos, meios-irmãos e quase irmãos, uma vez que alguns não têm qualquer
laço de sangue face aos outros.

 

A dinâmica destas famílias é muito diferente da dinâmica das famílias ditas tradicionais e são famílias que têm tido um grande crescimento neste século pelo que importa debruçarmo-nos um pouco sobre as mesmas.

 

Nas famílias recompostas as relações de afeto são prioritárias às relações sanguíneas e a vivência em comum é mais importante que a biologia. Assim  quando uma mulher que já tem filhos se volta a casar, leva para a sua família um novo companheiro e uma nova família. As crianças passam a lidar com um padrasto e com a família de origem deste. Se o padrasto tem por sua vez filhos de uma relação anterior, as crianças de ambos têm de adaptar-se a uma invasão de espaço físico e psicológico e a partilhar afectos e atenções com pessoas diferentes de origens diferentes.

 

A complexidade das relações é muita, pelo que a gestão das relações tem que obedecer ao bom senso, tentando que esta adaptação seja benéfica para todos os membros da família e atenda à necessidade de cada um. Padrastos e madrastas normalmente são tratados pelo nome próprio, à exceção de uniões onde existam crianças pequenas que imediatamente os adotam como “pai ou mãe do coração”.

 

Quando a união surge no período da adolescência dos filhos, podem surgir relações conflituosas devidos à dificuldade de interiorizar regras e valores diferentes, já que até os valores e as normas de sempre são difíceis de assimilar nesta fase de vida.

Nas famílias recompostas o dia-a-dia é uma permanente construção na busca do equilíbrio e do bem-estar de todos.

 

Após o terminus de uma relação conjugal, importa que se racionalize e interiorize que a separação é apenas entre os progenitores e que as crianças continuam a ter pai e mãe. Por diversas razões que não importa por ora referir, os tribunais conferem às mães o poder paternal, o que pode limitar de forma clara o contacto diário com os pais, se as mães assim o entenderem.

 

Nas famílias recompostas, o casal tenta colmatar essas falhas de tempo e partilha impostas pelas mães e pela sociedade, através da integração dos mesmos com amor e carinho. Saudavelmente estas crianças devem vir a casa do pai como se tivessem saído no dia anterior criando-se-lhes um ambiente de pertença e não um ambiente de exceção. A dinâmica da família e do casal deve ser mantida integrando dessa forma aqueles que chegam e aqueles que estão, com naturalidade e muito amor.

 

Não é fácil mas é fundamental criar espaço para todos e criar condições para que cada individualidade se desenvolva. Não é fácil mas é fundamental criar condições para que as crianças sintam a circulação entre a casa do pai e a casa da mãe como um enriquecimento afetivo e não como uma fonte
de conflito e competição.

Hoje em dia, paredes e tetos não separam famílias, pois apesar de não ser possível aconchegar todas as noites as crianças que estão fora de portas, todos estão debaixo do mesmo céu, onde cada piscar de estrelas é um batimento cardíaco de proximidade.

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 14:39
link do post | favorito
Sexta-feira, 1 de Junho de 2012

O que perfaz uma relação amorosa saudável?

 

 

Psicoterapia Consultório Psicologia Familiar Relação Feliz

 

 

Todas as relações são únicas, e as pessoas juntam-se pelas mais diversas razões. Mas há coisas que as boas relações têm em comum. Conhecer os princípios básicos de relações saudáveis ajuda a mantê-las significativas, completas e entusiasmantes em alturas de alegria e tristeza:

 

 

  • Manter-se envolvido um com o outro. Algumas relações ficam presas na coexistência pacífica, mas sem se envolverem realmente um com o outro e trabalhando juntos. Embora pareça estável à superfície, a falta de envolvimento e comunicação aumentam a distância. Quando não precisa de falar sobre algo importante, a ligação e compreensão podem já não existir.
  • Ultrapassar o conflito. Alguns casais abordam os assuntos de forma calma, enquanto outros poderão levantar as suas vozes e discordar apaixonadamente. A chave numa relação fortalecida, no entanto, é não ter medo do conflito. É preciso que sinta segurança suficiente para expressas as coisas que o incomodam sem medo de retaliação, e ser capaz de resolver conflitos sem humilhação, degradação ou insistir em ter razão.
  • Manter vivos os interesses e relacionamentos exteriores. Ninguém consegue satisfazer essas quatro necessidades, e esperar demasiado de alguém pode colocar muita pressão pouco saudável num relacionamento. Ter amigos e interesses exteriores não só solidifica a sua rede social, como traz novas perspectivas e estimulação à relação.
  • Comunicar. Comunicação honesta e directa é a chave de qualquer relação. Quando ambos se sentem confortáveis ao exprimir as suas necessidades, medos e desejos, a confiança e as ligações são reforçadas. Fulcrais para a comunicação são as deixas não verbais - linguagem corporal como o contacto olhos nos olhos, inclinar-se para a frente ou na direcção oposta, ou tocar o braço de alguém.

 

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 18:10
link do post | favorito
Domingo, 6 de Maio de 2012

Um Feliz Dia da Mãe. A Todas as Mães.

Clínica Psicologia Lisboa Dia da Mãe

 

 

Uma mãe é mãe todos os dias, o seu amor e cuidados para com a família são um contínuo, independente do calendário civil, não há feriados, fins-de-semana, ou férias que deem tolerância de ponto a uma mãe.

 

Todos nós esperamos ser estimados e amados, apesar do amor incondicional que uma mãe tem pelos seus filhos, não deixa de ser uma pessoa que
também carece de afecto e precisa de ser reconhecida, escutada e respeitada de modo a que se sinta especial.

 

A primeira relação de amor acontece entre mãe e filho - neste caso amar é cuidar, satisfazer todas as necessidades, garantir segurança, estímulos, no fundo a sobrevivência e a base para que aquele ser frágil e dependente possa vir a florescer.

 

Quem nunca reparou no olhar embevecido e fixo com que uma criança contempla a sua mãe, quando esta lhe sorri, fala ou alimenta? Ali naquela troca espelha-se o primeiro amor. Relação que ficará tatuada em cada um de nós, e nos dará força, saber e coragem para um dia também amarmos e cuidarmos de outro alguém.

 

Com certeza já observou uma menina a embonecar-se com os acessórios e maquilhagem da mãe, ou mesmo a cuidar de uma boneca com modos de
mamã, e um rapaz a dizer muito ofendido “Tu não chamas nomes à minha mãe!”. A mãe é a modelo de feminilidade para as meninas e a primeira namorada dos meninos.

 

Independentemente da idade, do credo, ou da religião, uma mãe dá tudo o que tem gratuitamente, esperando apenas que o seu filho consiga ser feliz.

Por todas estas razões e muitas outras, justifica-se a existência do Dia da Mãe, o que não quer dizer que as mães mereçam apenas um dia por ano para serem amadas e lembradas, o que se celebra é a forma mais pura de amar, o papel da mulher na união familiar, e na estruturação social.

O Dia da Mãe pretende ser uma festa da família, e nada é mais útil do que oferecer presentes inesquecíveis a preços sorridentes, deixamos aqui algumas sugestões:

  • Oferecer um cheque de 100 beijinhos e 20 abraços com o prazo a definir.
  • Escrever uma carta de gratidão dedicada à mãe.
  • Cozinhar aquele prato preferido que a mãe tanto adora, e tratá-la como uma convidada especial.
  • Realizar uma sessão de cinema com aquelas fotos de infância com a mãe, que andam perdidas.
  • Surpreender a mãe com o pequeno-almoço na cama.
  • Um SPA caseiro, em que os filhos fazem as massagens à mãe.
  • Escrever uma história ou BD com o título “A minha Super-mãe”.
  • Colar post-its por toda a casa com elogios sobre a mãe.

Aqui ficam formas simples, económicas e criativas de, em família, fazer quem tanto ama sentir-se ainda mais especial, neste dia e sempre.

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 18:57
link do post | favorito
Quarta-feira, 11 de Abril de 2012

O Casamento e as Plantas!

 

Um casamento é como uma planta. Se você der água à planta, sol e ar, ela floresce. Um casamento requer uma quantidade certa de carinho, atenção, compreensão e confiança para que possa crescer.

 

Apesar de todas as pessoas estarem com óptimas intenções quanto ao futuro da relação, a felicidade no casal não depende exclusivamente das intenções predefinidas. A felicidade e a duração da relação depende mais do que cada uma das pessoas entende ser para si a felicidade e se está a receber isso do outro no seio da relação.

O que me apercebo enquanto terapeuta de casais é que quando a pessoa ainda não encontrou a felicidade dentro de si mesmo, as suas tentativas para fazer o outro feliz são inúteis e só trazem frustração. O primeiro passo é aprender a ser feliz.


Um dos exercícios que faço quando recebo casais é pedir-lhes para que façam uma lista de coisas que cada um acredita que os faz feliz na relação com o outro. Na maioria das vezes as pessoas ficam surpreendidas quando lêem a dista do companheiro(a) e se apercebem do quão fácil é fazer o outro
feliz.

 

Exemplos relatados para fazer a sua mulher feliz:

 

  • Enviar ao longo do dia SMS de afecto, atenção e carinho
  • Fazer o jantar de vez em quando. Os maridos que cozinham têm relações mais felizes.
  • Ajudar a arrumar e a limpar após as refeições. Muitos casais discutem acerca das tarefas domésticas. Se as tarefas de casa forem feitas a dois, ocupam metade do tempo, deixando a outra metade para o romance.
  • Trate-a por um nome carinhoso especial.
  • Diga “Amo-te” quando a vê e quando se despede dela.
  • Assinale ocasiões especiais no calendário. Não existem assim tantas datas para recordar. Lembre-se especialmente do dia de anos, o aniversário de casamento e o dia em que começaram a namorar.
  • Diga-lhe o quanto gosta do toque e do cheiro dela.
  • Convide-a para o cinema ou restaurante como se fosse um encontro de namoro.
  • Dê banho e leia uma historia aos miúdos.
  • Elogie as escolhas de roupa. Elogie a ela e não a roupa.
  • Ofereça flores.
  • Dê-lhe uma massagem.
  • Despeje o lixo.
  • Leve-a a jantar fora, ou traga comida feita para casa e surprenda-a. Verifique primeiro se ela ainda não preparou o jantar.
  • Diga-lhe "Eu confio em ti para…" e termine a frase com uma afirmação positiva.
  • Dê-lhe um beijo sem precisar de razões.
  • Permaneça calmo se ela está a ter uma longa conversa ao telefone com a amiga, com a mãe, ou com a irmã. Estes telefonemas são sempre para que ela tenha suporte emocional e nesse sentido são também importantes para si.
  • Aprenda a utilizar a máquina de lavar roupa.
  • Vá às compras quando ela faz questão. Considere isso como tempo de qualidade. Aproveite para ver artigos para si.
  • Limpe a casa de banho antes de sair.
  • Leve-lhe pequenas lembranças.
  • Dê-lhe a mão, mesmo se estiverem pessoas por perto. É uma manifestação pública de afecto e isso é importante para ela.
  • Surpreende-a. Compre um fim-de-semana fora. Avise-a com antecedência.
  • Tenha fotografias dela no telemóvel.

 

 

A vida é muito mais fácil quando você sabe o que o faz feliz a si e ao seu outro.

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 13:12
link do post | favorito
Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2012

O Que Precisa Para Ter Uma Família Ainda Mais Feliz – Parte I

CPL Familia Feliz

Desfrute a Companhia de Cada Um

A essência de uma família feliz é que toda a família engrandece a personalidade de cada um dos elementos e isso reflecte-se na forma como cada um se relaciona com os outros. Toda a relação familiar é caracterizada por uma alegria na partilha e nas interacções. O resultado final é que quando os pais chegam a casa os filhos ficam felizes por os ver, e quando os filhos chegam a casa os pais ficam felizes por vê-los.

 

Ouça a Historia Deles, Conte a Sua

Quando os filhos chegam a casa, pergunte-lhes como correu a escola e conte-lhes uma historia sua de quando andou na escola e que tem a ver com o que eles estão a viver. Expresse a sua opinião, a sua maneira de ver as coisas, os seus valores. Repare… porque que é que os filhos estariam contentes por verem os pais, se quando os pais chegam a casa, mesmo que derrotados pelo cansaço do dia esgotante de trabalho e não tiverem pelo menos aqueles dez minutos para saber do dia dos filhos? Que felicidade terão os filhos em constatar que têm que rivalizar a atenção com a televisão.

A regra fundamental é que os filhos venham sempre em primeiro lugar. Você tem que largar tudo o que está a fazer e chegar a casa com qualquer coisa para partilhar com os seus filhos. Isso dará aos seus filhos uma perspectiva futura da função da família. Um dos grandes problemas das famílias é a rotina e o aborrecimento o que conduz à disfunção e aos filhos quererem mais estar com os amigos do que com a família.

 

Casamento Vem Primeiro

Estabeleça um exemplo para os seus filhos do que é o verdadeiro amor. A relação do casal deve vir em primeiro lugar.

Existem muitas famílias em que os filhos vêm em primeiro lugar. Sendo natural quando as crianças são muito pequenas e precisam de quase exclusividade de atenção, alguns pais tendem a estender esta relação exclusiva muito para além das reais necessidades dos filhos. Nestas situações os filhos tornam-se os substitutos e por vezes as únicas fontes de amor devido ao afastamento afectivo progressivo entre os elementos do casal. Lembre-se que se a sua relação estiver em primeiro lugar estará a transmitir aos seus filhos o valor do afecto, da partilha, do respeito e do carinho entre dois adultos, estará a servir como modelo afectivo e relacional para que os seus filhos queiram isso para as suas vidas.

 

As Refeições Fazem-se Juntos

Os elementos das famílias que comem juntos, permanecem juntos. A refeição em família é muito importante. É o tempo de ligação e relação. Possivelmente o único tempo que na realidade têm para estar junto de pais, filhos e irmãos.

 

Clínica Psicologia Lisboa

Consultório Terapia Casal

Consulta Psicoterapia Lisboa

Clínica Psicologia Porto

publicado por Clínica Psicologia Lisboa às 01:27
link do post | favorito

O Consultório Psicologia Familiar é desenvolvido pela Clínica Psicologia Lisboa.

psicoterapiaDr. Pedro Albuquerque licenciou-se em Psicologia Clínica e do Aconselhamento, especializou-se em Psicoterapia de Grupo, Terapia de Casal e Coaching. Desenvolveu a sua práctica clínica no Hospital Júlio de Matos e em clínicas privadas. Possui estudos de doutoramento em Psicologia Clínica, pela Universidade de Coimbra. Formação em EMDR e Programação Neuro-Linguistica. É membro da Sociedade Portuguesa de Psicodrama, da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, da Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Construtivistas e da Associação Portuguesa para o Mindfulness. É fundador da Clínica Psicologia Lisboa.

psicoterapiaDr. Ana Teresa Marques licenciou-se em Psicologia Clínica, especializou-se em Psicoterapia Individual, Terapia de Casal e da Familia. Desenvolveu a sua práctica clínica no Instituto de Cardiologia Preventiva e em clínicas privadas. É membro da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. É membro fundador da Associação Portuguesa para o Estudo e Prevenção dos Abusos Sexuais de Crianças e da Associação EMDR Portugal. É fundadora e Directora Clínica da Clínica Psicologia Lisboa.


CONTACTOS:
Morada: Av. João XXI, nº. 28, 2º.Dir, Lisboa
Telefone: 96 140 49 50
Telefone: 91 437 50 55
Email: clinica.psicologia.lisboa@gmail.com
Site: www.clinicapsicologialisboa.com

PESQUISAR NESTE BLOG

 

tags

todas as tags

links

subscrever feeds