Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório Psicologia Familiar

Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.

Consultório Psicologia Familiar

Bem-vindo(a) ao Consultório Psicologia Familiar. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Vida Familiar.

Poupe sem Esforço... Viva com Tranquilidade

21.06.12, Clínica Psicologia Lisboa
  Hoje em dia, basta abrir os jornais ou internet, ou ligar a televisão para nos sentirmos no meio de um filme de terror. Crise, crise, crise. Até os menos suscetíveis, ou porque a vida lhes corre de feição ou porque a sua forma de ver o mundo é muito positivista se assustam, deixando-se contaminar com medos e receio do presente e do futuro. Casais jovens repensam se (...)

Comece o Dia Sorrindo... Mesmo Que Lhe Apeteça Arrancar os Cabelos

16.06.12, Clínica Psicologia Lisboa
  De manhã começa o dia para todos, mas geralmente para si, que é mulher e mãe de família, o acordar não é suave nem pacífico. Pode começar com o tocar do despertador, mas também pode começar com os gritos das crianças a chamarem ou dos bebés a chorarem. É preciso levantar as crianças, lavá-las, vesti-las, dar-lhes o pequeno-almoço e preparar as mochilas da (...)

Tarefas Domésticas: Conflito ou Negociação?

18.04.12, Clínica Psicologia Lisboa
  A divisão das tarefas domésticas sendo um dos mais frequentes problemas de relacionamento relatados pelos casais, é uma das áreas de negociação que deveria ser das mais fáceis de resolver, mas geralmente não é assim.   Uma das razões prende-se com o facto de tradicionalmente o homem não faz a sua parte na limpeza da casa, nas compras de supermercado, no lavar a (...)

Todos os Dias Quando Chego a Casa

21.02.12, Clínica Psicologia Lisboa
Questão colocada: “Todos os dias quando chego a casa, quase que tenho um ataque. Fico tão furiosa que me apetece voltar a sair e não entrar nunca mais. Já não gosto de estar em casa com o meu marido pois a casa é para nós uma guerra permanente. Assim que entro começo a gritar e não paro mais. A culpa não é minha e não sei o que fazer. O meu marido não arruma (...)